Subscreva a Newsletter da Igreja Lusitana
.


Membros do Conselho de Pensões da Igreja da Inglaterra abrem negociações na Bolsa de Valores de Londres a 30 de Janeiro de 2019, por ocasião do lançamento do novo Índice de Transição Climática da Transition Pathway Iniciative. Foto Direitos reservados/ACNS
.
 

O Conselho de Pensões da Igreja da Inglaterra (Church of England Pension Board) lançou um Índice de Transição Climática da Transition Pathway Iniciative (Iniciativa Caminho de Transição ou TPI, da sigla em inglês) para orientar os investidores sobre o progresso das empresas no sentido das orientações consagradas no Acordo de Paris sobre mudanças climáticas.

O Índice de Transição Climática, diz o Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana (ACNS), permitirá que os fundos de investimento vinculem os investimentos que fazem na Bolsa de Londres ao progresso que as empresas estão a fazer em relação ao Acordo de Paris. Uma das primeiras consequências da decisão é que aquele organismo da Comunhão Anglicana não investirá mais em empresas como a BP, ExxonMobil e Chevron, uma vez que as metas destas empresas não estão alinhadas com o Acordo de Paris.

Citado na ACNS, o director de Ética e Compromisso do Conselho de Pensões, Adam Matthews, afirmou que este organismo “não investirá mais em vários nomes conhecidos na indústria do petróleo”. Mas, se as empresas arrepiarem caminho, poderão voltar a ser elegíveis para novos investimentos.

O índice irá analisar o desempenho das empresas cotadas na Bolsa de Londres a partir de cinco items: reservas de combustíveis fósseis; emissões de carbono; iniciativas económicas verdes; mecanismos e medidas para prevenir, mitigar ou adaptar-se aos riscos impostos pela mudança climática; e desempenho nas emissões de carbono, avaliando a eficiência e limpeza do consumo de combustíveis fósseis.

Com esta avaliação, o índice permitirá que os investidores tomem decisões financeiras ambientalmente responsáveis, recompensando empresas com metas públicas alinhadas com as metas estabelecidas no Acordo de Paris e penalizando significativamente ou excluindo as que não o fazem.

O arcebispo de Cantuária, Justin Welby, afirmou, também citado pela mesma fonte, que havia um imperativo moral e financeiro de apoiar os objectivos do Acordo Climático de Paris no que diz respeito à urgência que se verifica com as mudanças climáticas. “Para os cristãos e as pessoas de consciência, isso é ainda mais relevante quando se vêem os impactos nos mais pobres e menos preparados do mundo para se adaptarem a climas extremos, bem como os impactos sobre a beleza da criação de Deus.”

O índice foi lançado na Bolsa de Valores de Londres na passada quinta-feira, 30 de janeiro. O Conselho de Pensões supervisiona os fundos de aposentadoria para o clero e colaboradores da Igreja da Inglaterra/Comunhão Anglicana.


Texto publicado e cedido pela plataforma digital de notícias Sete Margens

 

Igreja Lusitana Católica Apostólica Evangélica - Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.